Páginas

5 de junho de 2011

Sobre a Legalização da Maconha


Nada que aconteça em nossa realidade deve ser tratado sem que se lembre da luta de classes, nada está fora do seu contexto. O que se dá com a legalização da maconha, obviamente, também está nesse campo.
Devo aqui resumir a história da planta. A maconha não é nativa do território brasileiro, foi trazida pelos africanos e originalmente apelidada de fumo-de-angola, posteriormente foi cultivada também pelos índios de nossa região e nem sempre foi culturalmente ou legalmente combatida. Apenas a partir de meados da década de 1920 é que essa “repressão” começou, por diversas circunstâncias, que envolvem também, de certo modo, aspectos da conjuntura internacional.1 Por fim, a maconha chegou aos dias atuais sendo duramente reprimida, tanto do ponto de vista “legal”, quanto do ponto de vista moral, em nossa sociedade. É possível notar através das qualidades que são automaticamente relacionadas pelo senso comum ao termo “maconheiro”, por exemplo.
O fato é que mesmo que tal planta venha sendo usada culturalmente ao longo de milênios, por algumas civilizações, nunca houve tanto conhecimento científico sobre os efeitos do uso da maconha quanto o temos hoje,